Software baseado em design: tecnologia direcionada ao usuário

Software baseado em design: tecnologia direcionada ao usuário

O conceito ‘software baseado em design’ é um assunto denso e que permite aprofundamento em outros diversos conceitos, técnicas e metodologias. Aqui, propomos uma visão resumida sobre este encontro entre a tecnologia, a forma e a função, que foi abordado em profundidade em e-book desenvolvido pela Techware.

Antes de entender como os atributos do design beneficiam o raciocínio criativo e lógico da construção de softwares, vale conhecer melhor quais são estes atributos. Derrubando um mito, design não é restrito à moda, produtos, decoração e áreas com apelo artístico. Como definido por Alexandre Wollner, renomado designer gráfico brasileiro, “design é projeto”. Logo, toda iniciativa orientada ao desenvolvimento de soluções pode somar as estratégias, técnicas e criatividade do design. Outro aspecto importante é o ponto de partida do design: o usuário.

A atenção à criação de soluções relevantes é uma premissa da área que faz com que funcionalidade seja uma palavra-chave. Dessa forma, basear-se em design é sinônimo de objetivos orientados à entrega de solução para atender pessoas. Sob este viés, é fácil enxergar a importância do software baseado em design. Afinal, trata-se do cuidado com o desenvolvimento de tecnologias, de fato, focadas nas demandas dos usuários e na melhor forma de suportá-las.

Revoluções, tecnologia e pessoas

Desde a 3ª Revolução Industrial, a tecnologia com apelos digitais vem transformando drasticamente a sociedade. As mudanças decorrentes deste avanço influenciam comportamentos em todas as esferas (pessoais e corporativas). Dando continuidade ao progresso, as expectativas e promessas da 5ª Revolução Industrial envolvem ainda mais transformações. Nanotecnologia, AI, Blockchain, Realidade Virtual e tecnologias ainda nem inventadas e cada vez mais sofisticadas utilizadas como second nature (incorporadas à rotina).

Mesmo falando de tantas soluções e avanço tecnológico, o aspecto humano tem imenso destaque nestas dinâmicas. Além da busca pelo aumento da aproximação entre tecnologia e pessoas, máquinas adquirem apelos humanizados e sistemas ciberfísicos são uma característica importante da 4ª Revolução industrial. Se você precisa relembrar a marca de cada Revolução Industrial para entender com mais clareza essas mudanças, os tópicos abaixo esclarecem as diferenças de cada período:

  • 1ª Revolução industrial: máquina a vapor.
  • 2ª Revolução industrial: desenvolvimento tecnocientífico (1ª e 2ª Guerras Mundiais).
  • 3ª Revolução industrial: tecnologia e profissionais multifuncionais.
  • 4ª Revolução industrial: sistemas ciberfísicos (integração de componentes computacionais e físicos).
  • 5ª Revolução Industrial: sofisticação tecnológica (avanço exponencial) e ainda mais presença no dia a dia.

O panorama histórico acima ratifica, sem margem para dúvidas, quão profunda é a imersão da tecnologia na vida das pessoas. Em contrapartida, quanto mais a engenharia de software usa o foco nas pessoas como preceito construtivo, maior o potencial de assertividade das soluções. Ainda decupando as bases e os resultados do encontro entre desenvolvimento software e design, conhecer metodologias e conceitos de ambos os segmentos é útil para engenheiros, desenvolvedores e também para os contratantes das soluções. Entre as principais, destacam-se:

  • Design Thinking: modelo mental de processos colaborativos baseados em sensibilidade e especialização técnica, que é centrado em pessoas e tem forte direcionamento à ação, cultura de prototipagem e testes.
  • UX e UI: estudos e processos focados em User Experience (UX) e User Interface (UI). Há grande preocupação com a experiência do usuário, fluxos de uso e o ambiente da interação.
  • Agile Scrum: metodologia utilizada para o planejamento e a gestão de projetos com foco em agilidade. Com renome mundial, é amplamente conhecida pelos sprints (ciclos de tarefas) e autogestão.
  • Lean IT: método com origem no Sistema Produtivo da Toyota, que deriva a gestão enxuta e a eliminação de desperdício para a TI. Foco em construção de valor aos usuários como premissa essencial.

Aplicação do software by design

Em linhas gerais, o estudo de conceitos e metodologias é tão necessário quanto a aplicação dos aprendizados. Afinal, a velocidade das mudanças faz com que seja bastante complexo acompanhá-las, sendo que as áreas relacionadas à tecnologia têm um desafio ainda mais profundo: acompanhar e criar transformação. Por isso, além de entender o software by design, é vital aplicá-lo. Neste sentido, o compromisso da TI com a constante atualização e a entrega de soluções envolve tanto uma postura proativa, quanto preditiva e influenciadora. Especificamente no universo da TI corporativa, criar, implementar e/ou contratar soluções desenvolvidas com base em design é um reforço do compromisso com a atenção ao usuário.

Link do e-book