Como tornar-se mais objetivo e conciso em suas apresentações

Como tornar-se mais objetivo e conciso em suas apresentações

É possível entregar mais com menos conteúdo e garantir a atenção do espectador? O professor da FIA Normann Kestenbaum, em sua palestra intitulada “O poder do suficiente” para o CONARH 2018 garantiu que sim. Ele afirmou que a qualidade da informação e a clareza de raciocínio podem determinar o sucesso ou o fracasso de um negócio, uma ideia ou uma proposta. E que em rotinas repletas de reuniões, e-mails e excesso de informações vai ter sucesso quem conseguir passar a mensagem de forma clara e objetiva, com pouco conteúdo e sem dar muitas voltas para concluir o assunto.

Enquanto ouvia o professor na palestra, tive a oportunidade de refletir um pouco mais sobre o tema e relembrar que há uma herança cultural que leva as pessoas a terem dificuldades em ser sucintas e objetivas em seus argumentos, exposição de ideias e projetos. Fomos educados em um contexto no qual quantidade era entendida como sinal de qualidade e segundo Normann isso caiu por terra. Esforço não é mais entendido como resultado. É um meio, um caminho. Ele mostrou também que algumas mudanças culturais são importantes e indispensáveis na adaptação das organizações ao ambiente desafiador de excesso de informação com escassez de tempo.

Durante o CONARH Normann apresentou uma alternativa baseada na metodologia de concisão e objetividade que desenvolveu ao longo de mais de 20 anos auxiliando a alta direção de grandes empresas. Ele garante que é possível resolver bem temas envolvendo altas cifras com uma única folha e que o PowerPoint caiu em desuso há muito tempo em sua empresa. Eles utilizam uma única folha tamanho A3, estrutural (não narrativa), focada em conhecimento estruturado (ao invés de dados retrabalhados) e que permite a absorção simultânea de informação em substituição à sequencial do PPT.

Claro que é preciso muita dedicação por parte do apresentador para se ter sucesso nesse formato. O expositor precisa estudar semanas para ter todo discurso rigidamente estruturado na cabeça. Mas Normann garante que isso já é realidade em grande parte das maiores empresas brasileiras e multinacionais com quem lida, utilizando a credibilidade de ícones como Jeff Bezos, Jack Immelt, entre outros, que baniram o PowerPoint dos momentos de decisão da Amazon e GE, respectivamente.

E como evoluir tão radicalmente e deixar o mundo sequencial do PowerPoint?
Oferecendo o máximo possível de absorção simultânea de conteúdo às audiências visadas, esta é a mudança disruptiva. Uma página A3 é o segredo. E como você não vai encaixar todos os seus slides nesta página terá que escolher entre 3 alternativas para seu conteúdo: enxugar, enxugar ou… enxugar e isso não significa reduzir os tamanhos de todas as fontes e também só pode ser realizado com 3 alternativas: refletir, refletir e …. refletir! Ou você ordena dados e informações (chegará infalivelmente a um resultado fraco) ou você reflete e extrai o conhecimento derivado dos dados e informações (sucesso com certeza). Não há terceira opção aqui!

Norman finaliza dizendo que a melhor notícia é que ninguém cria um A3, você termina em um A3! O exercício de construir, estruturar e enxugar o conteúdo irá organizar a melhor mídia do mundo, o seu cérebro!

Ele afirma que não está reinventando a roda, esta é uma metodologia já comprovada e com alta credibilidade, está apenas propondo uma evolução, um despertar.
Aqui na Techware temos entre nossos valores Design e Dinamismo e buscamos inovar e encantar através de cada escolha, ideia e comportamento. Inspirados pela palestra de Norman, criamos um novo formato para as apresentações em nossos encontros de metas. Com a disposição de mesa redonda, conteúdo separado por trilhas e um mediador conduzindo, os gestores apresentam os dados de suas áreas com pouco ou nenhum slide e falas mais objetivas. Priorizamos também começar a apresentação entregando a informação mais importante do evento, aproveitando o foco inicial dos espectadores para garantir a entrega da mensagem.
Os resultados do formato inspirado nas dicas de Normann foram excelentes e o próximo passo é chegarmos no A3, estamos trabalhando para isso.

E assim decisores migram de um status de reordenadores de dados para um patamar de reflexão profunda, levando-os a exercerem mais efetivamente os seus talentos, com impacto direto na qualidade das decisões e performance da empresa.

Fonte: palestra O poder do suficiente – Normann Kestenbaum – Professor de Comunicação Corporativa no MBA da FIA e sócio-diretor da Baumon– CONARH – 15 agosto de 2018.

http://blogrh.com.br/conarh-o-poder-do-suficiente/

Aline Galeano – Supervisora de Marketing, Comunicação e Identidade Corporativa