Incentivo ao uso do LinkedIn

Incentivo ao uso do LinkedIn

Há quem ainda enxergue o LinkedIn apenas como uma rede social para quem busca uma nova posição de trabalho. Algo como um imenso banco de currículos e intermediador entre profissionais e head hunters. Isso é verdade. O LinkedIn pode ser utilizado para esse fim e a plataforma é muito útil tanto para recrutadores quanto para pessoas procurando oportunidades e recolocações. Entretanto, o LinkedIn vai muito além disso. O quanto antes você e sua empresa entenderem as diversas possibilidades da rede focada em negócios, mais proveito poderão tirar da comunidade que reúne quase 30 milhões de usuários no Brasil. 

Por que incentivar que os seus colaboradores usem o LinkedIn?

Se você pensou que incentivar a sua equipe a usar o LinkedIn significa estimular a busca por um novo trabalho, é importantíssimo que você continue a leitura. A rede evoluiu muito nos últimos anos e tornou-se um ambiente no qual especialistas compartilham conteúdo, assim como terreno digital fértil para networking, conexões e parcerias. Se o seu profissional estiver insatisfeito e desengajado, existe sim a possibilidade de uso da rede com foco em mudar de empresa. Porém, isso irá acontecer com ou sem o incentivo ao uso. Nesse caso, seria mais importante dar atenção ao endomarketing e à retenção de talentos do que culpar a rede.

Voltando ao LinkedIn, há muito potencial a ser explorado pelos profissionais, pela marca e pelo negócio. As pessoas podem aprimorar conhecimentos com os conteúdos da rede, mantendo-se atualizadas de forma simplificada e leve. Também podem se conectar a profissionais relevantes na área de atuação. Inclusive, os seus profissionais podem ser as pessoas relevantes da área. No seu time podem existir produtores de conteúdo. Aí na sua empresa, é bem provável que vozes de valor ainda estejam em silêncio, só esperando um incentivo para compartilhar sabedoria.

Quando as pessoas do seu time constroem reputação no LinkedIn, de forma direta e indireta, essa imagem reverbera na marca. Para isso, é necessário que a empresa tenha uma página (company page) na rede. Dessa forma, o profissional pode indicar onde trabalha. Reconhecer que os colaboradores são representantes da imagem da empresa não é novidade. A diferença é que por meio do LinkedIn isso ganha projeção.

Aqui, vale um alerta: o perfil do profissional é pessoal, ou seja, a pessoa tem autonomia para escrever, curtir e mencionar quem quiser. Incentivar não é ordenar! Os profissionais devem ter total liberdade em seus perfis pessoais. Por outro lado, também é válido orientar que dados sensíveis e sigilosos precisam ser respeitados pelos profissionais. Nos casos extremos de reclamações e difamações, tentar entrar em acordo pode ser um caminho menos traumático. De novo, não é o incentivo que irá causar tais situações. Se um profissional quiser fazer publicações negativas sobre a empresa, isso acontecerá com ou sem fomento ao uso.

LinkedIn: visibilidade para endomarketing.

Quando a empresa tem uma company page e incentiva que os profissionais usem o LinkedIn, algumas ações de endomarketing podem ser apresentadas externamente. Junto ao incentivo de compartilhamento de conteúdos como especialistas, a empresa pode fomentar que os profissionais mencionem a página oficial e dividam experiências, ampliando o alcance do conceito de employee experience. Inclusive, esses ecos podem colaborar com as políticas de atração e retenção de talentos.

Como deu para perceber, o LinkedIn pode ser explorado de inúmeras formas. Aproveitando o tema, você já segue a company page da Techware? Dê um follow e acompanhe nosso perfil!