Ensinamentos que a pandemia nos trouxe

Ensinamentos que a pandemia nos trouxe

A quarentena pegou todos de surpresa e o home office tornou-se a realidade de milhões de trabalhadores brasileiros repentinamente. Junto com a quarentena, o medo e a incerteza causada pela crise de saúde e financeira que pairava o país mexeu com nossa saúde mental e até com a nossa produtividade. Mas em meio a tantos problemas, muitos conseguiram enxergar um lado mais positivo de toda essa experiência.

Queríamos saber como tudo isso havia impactado nossos TechDesigners, pedimos para a nossa gerente de Marketing, Comunicação e Cultura Organizacional, Aline Galeano, compartilhar alguns aprendizados que foram importantes para ela nesse período, confira:

Mais empatia pela equipe

“Desde o início, foi possível perceber mais empatia e proximidade com a equipe, uma vez que você precisa cobrar o outro de forma que conquiste o engajamento e não somente a entrega. Com o mundo se tornando digital e a conversa sendo à distância, percebi mais paciência com os que possuem menos entendimento da tecnologia, mais cuidado ao falar com as pessoas, mais simpatia no tom de voz, e até melhor interpretação de e-mails e mensagens.” afirma Aline.

Comunicação assertiva

Desde o começo da quarentena, a Techware estava mais preparada para o formato home office graças a modalidade Cloud. Como já falamos anteriormente, a mudança para o trabalho remoto foi muito melhor do que o esperado, pois em menos de uma semana toda a nossa estrutura estava apta para que a equipe trabalhasse à distância. Com a modalidade Cloud permitindo um trabalho remoto eficiente, a Aline notou logo no início uma mudança importante também na comunicação, amparada pela implementação de inúmeras ferramentas digitais, como: Gsuite, Workplace, Rhevolution Cloud, entre outras.
“As pessoas, quando não estão juntas, demandam mais comunicação. Estar disponível para conversar e ajustar as necessidades do seu time faz toda a diferença. Foi positivo perceber que os gestores conseguiram ser mais claros ao delegar tarefas e direcionar a equipe e assim, mesmo a distância, seguir um ritmo parecido com aquele que estabeleceu na empresa antes da crise.” reforça a gerente.

Família unida

E um dos maiores desafios quando se fala em home office é ter a família inteira junta dentro de casa, principalmente com crianças. Com as crianças sem aula, os pais perceberam grande dificuldade em manter a produtividade e ainda auxiliar as crianças nas atividades escolares, mantê-las calmas e “quietinhas” durante as reuniões e outros desafios.
E será que com essa dificuldade, foi possível perceber um lado positivo também? A Aline afirma que sim. “Paciência é fundamental: assumimos boa parte do papel da escola com aulas remotas, deveres e trabalhos em casa (dupla jornada). Isso nos mostra também que podemos e conseguimos fazer muito mais coisas do que imaginamos. E é importante ressaltar que o home office também é da família: todos precisaram se adaptar com a nova rotina respeitando o espaço um do outro, o barulho, a ausência, etc. (as crianças demoram a entender que os pais estão em casa, mas na verdade não estão).”.
Esse é um momento que foi possível compreender melhor o que temos. Se estamos em casa com saúde ao lado de nossos familiares, é um motivo para sentir também a energia positiva que isso traz. “É também um excelente momento de trazer ainda mais a cultura da empresa para dentro de casa. Todos se envolvem e acabam participando um pouco do dia a dia do trabalho e da empresa.” afirma a gerente.

O líder e a equipe

Os líderes estão a cada dia se reinventando. Com o apoio de aplicativos e sites que gerenciam tarefas, é possível acompanhar a equipe, delegar tarefas e conferir entregas. Ter um software para o controle de pontos remoto e acesso aos dados através da modalidade Cloud também facilitou muito o processo de trabalho.
“A equipe ficou mais envolvida, uma vez que também deseja mostrar para o líder que está trabalhando e disponível. Mantivemos os mesmos níveis de agilidade e qualidade praticados antes no presencial”, elogia Aline.

Produtividade

Podemos afirmar que foi e é o maior desafio. Como citamos acima, o home office somado ao período que estamos vivendo, com as dificuldades, a família em casa e todo o stress da quarentena tem afetado sim a nossa produtividade.
Mas a Gerente de Marketing afirma que isso não deve ser encarado com tanta preocupação: “Muitas pessoas estão aflitas e se sentindo incapazes de ‘performar bem’ por conta de tantas outras coisas que estão sendo obrigadas a fazer ao mesmo tempo. Acredito que produtividade boa é aquela do longo prazo, não só a que aconteceu no final do dia. Então, vamos considerar o todo.”

Tecnologia

E como não falar da área que somos especialistas mas que ainda assim, aprendemos algo novo todos os dias? A Techware passou a realizar todas as operações necessárias para atender aos seus 130 clientes de forma 100% remota, desde serviços de BPO e Cloud, serviços de suporte ao uso dos produtos, implantação de projetos e continuidade do desenvolvimento dos produtos pela Engenharia.
E tem sido positivo pois conseguimos viver na prática o quanto a experiência de possuir tudo em modalidade Cloud pode facilitar o dia a dia. “Nós estávamos mais do que preparados para trabalhar remoto, e nem sabíamos. No final, estamos explorando toda potencialidade que as ferramentas que implantamos proporcionam e sairemos muito mais conectados e engajados depois dessa. Somos ao pé da letra uma empresa de tecnologia.” afirma Aline, com orgulho.
Em meio a tudo isso, é hora de se perguntar: o termo “novo normal” assusta? Talvez as mudanças causadas por um problema de saúde mundial seja positiva no sentido de nos aproximar, nos conectar, nos respeitar e buscar sempre o bem estar de todos e não só de um. O novo normal tem tudo para ser, na verdade, um ambiente de trabalho muito mais harmonizado e feliz, onde as pessoas estejam ali porque desejam e se sentem bem em poder fazer parte desta nova fase e retorno presencial que está por vir.