Skip to content

RH Summit 2023: o segredo da alta performance está em uma liderança focada

RH
Techware
Julho 03, 2023

Nos últimos três anos, o cenário de RH passou por grandes mudanças. Os times estão sendo reduzidos, demissões em massa ficaram cada vez mais frequentes e o ambiente de trabalho se tornou incerto. 

Para driblar esses desafios, os líderes de diversas organizações estão buscando se adaptar às transformações bruscas do mercado e ter uma visão 360º, que agrega não só candidatos e colaboradores, mas também a sociedade como um todo. 

Em três dias de imersão, a 7ª edição do RH Summit 2023 que aconteceram nos dias 13, 14 e 15 de junho, a proposta foi exatamente um mergulho no tema: “People Experience”, focando em uma abordagem mais ampla sobre a experiência dos colaboradores e como eles podem superar o medo de um mercado instável.  

Foram mais de 40 conteúdos e de 50 especialistas convidados que compartilharam com os participantes, dicas, insights, cases e aprendizados, que têm como cerne o presente do RH e a importância do fortalecimento da Cultura Organizacional para tangibilizar a produtividade e a alta performance para a geração de resultados.

A Techware não poderia ficar de fora.

Claro que marcamos forte presença neste encontro, que é considerado o maior evento online para Profissionais de RH da América Latina, e agora compartilharemos com você neste artigo, um pouco da nossa participação sobre tudo o que rolou no primeiro dia. Confira em primeira mão!

Liderar pelo motivo certo

O primeiro dia de RH Summit foi marcado por palestras que abordaram desde a experiência do colaborador e tecnologias que estão transformando o RH das empresas, até a importância de uma liderança com propósito e responsabilidade. 

E por falar em liderança, o representante da Techware no RH Summit e Sócio-Fundador da Winx, Rogério Chér, em sua palestra intitulada “Como tornar a liderança mais efetiva pensando em um maior engajamento e à alta performance?”, compartilhou justamente algumas ideias e práticas que tornam a liderança mais eficiente e focada no impulsionamento e desempenho das equipes.

Ele afirmou que, independente do nicho ou do tamanho, todas as empresas têm planos, ambições e visões de futuro, mas para que os objetivos de crescimento, expansão e alto desempenho sejam alcançados é fundamental ter uma execução de processos disciplinada, constante e direcionada. 

“Tudo isso depende de uma liderança que encaminha a organização na direção desses planos, executa os projetos e tem uma visão de futuro ambiciosa. Sem liderança, tudo se torna meramente um projeto hipotético ou uma boa intenção. A liderança dá vida, primeiramente, à estratégia e à cultura. A partir daí, a organização ganha forma e essa combinação é que cria fundamentos para a alta performance”, declara.

Agora, você deve estar se perguntando, qual é o papel do líder que engajará de forma inspiradora todas as partes interessadas na direção desse futuro?

Ao longo da sua apresentação, Chér parafraseia o autor, palestrante, consultor e fundador do The Table Group, Patrick Lencioni, afirmando que a jornada de uma ótima liderança passa pela reflexão a respeito do motivo para se liderar. A partir disso, ele lista importantes pontos sobre o assunto. A seguir você pode conferir quais são eles:

  • Há dois tipos de motivação para se liderar: recompensa e responsabilidade. Basicamente, liderança sob o prisma da recompensa é encarar o desafio como algo estritamente do ego. 
  • Liderar não é um gesto discreto, é um ato intenso, massivo, ostensivo, expressivo e caloroso. 
  • Um líder encara a realidade de frente e lida de forma transparente e corajosa com temas que representam uma ameaça.
  • Mesmo em meio às ambiguidades, instabilidades e desafios, um líder também deve construir esperança e otimismo.
  • Leveza e bom humor são indicadores importantes de inteligência emocional e criam uma paisagem propícia ao engajamento, que por sua vez é responsável por produzir performance.
  • Ao mesmo tempo que o líder sabe que engajamento é um estado emocional, ele também sabe que é uma escolha.
  • Liderar de modo engajador também é uma competência.

5 chaves que vão mudar sua liderança

Além das dicas baseadas nos ensinamentos do especialista Patrick Lencioni, Rogério Chér dividiu com o público 5 chaves, inclusive que pautam a cultura organizacional da Winx, que destravam o comprometimento das pessoas com o trabalho, ambiente, colega e com a cultura ou propósito organizacional da empresa.

As chaves formam um acróstico divertido e muito pertinente: MAGIC e agora você descobrirá o que cada letra significa:

  • Meaningful

Em tradução livre, Meaningful é Significado. Nesse contexto, quer dizer que o líder precisa conectar as pessoas com algo maior que o trabalho pressupõe. Seria uma espécie de gratificação e relevância por fazer parte de algo maior. “Não é só o que é vendido. É o significado da proposta de valor enquanto negócio.”

  • Autonomia

Autonomia é a capacidade de se perceber num ambiente seguro para deixar sua marca pessoal no trabalho. Vale lembrar que a segurança psicológica é fundamental para o A do MAGIC acontecer.

  • Growth

Não diz só respeito ao crescimento! Significa estar com frio na barriga, porque aliado à régua alta e a altos padrões, é o que normalmente sentimos ao crescermos seja como pessoa ou profissional.

  • Impacto

Impacto é resultado, pois definitivamente não é interessante para o engajamento não ter resultados.

  • Connection

Senso de conexão e pertencimento é fundamental em todas as partes de uma organização e, é aí que entra a importância de uma cultura organizacional forte, engajadora e saudável.  

Outros insights

A palestra da Techware, ministrada por Rogério Chér, não foi a única que tratou sobre liderança. A apresentação intitulada “Liderança Eficaz: estratégias e técnicas para desenvolvimento”, também abordou o tema, mas focando na importância da cultura do feedback menos generalista.

Basicamente, desempenhar o papel de líder envolve diversas responsabilidades e uma delas é ter uma conversa franca, mas amistosa, sobre o trabalho específico que o liderado realiza, afinal, comunicar-se de uma forma não-violenta, considerando as individualidades de cada colaborador, é fundamental para criar conexão, diálogo e proximidade.

E quando falamos em diálogo, precisamos citar o “feedback reverso”, que nada mais é do que a oportunidade de o liderado também falar sobre o trabalho desempenhado pelos seus superiores. Aqui, entram mais uma vez as habilidades de um líder, que devem agregar a capacidade de escuta, compreensão e inteligência emocional.

Um bom líder deve estar preparado para lidar com as críticas da melhor forma possível, pois manter sempre essa troca é abrir um canal de comunicação valioso, que torna a liderança ainda mais efetiva e mantém os colaboradores engajados. 

Hoje, é irrefutável que os empregados também fortalecem significativamente a marca de uma empresa! Não é à toa que a palestra “Os funcionários são os novos clientes” foi um dos temas mais interessantes tratados neste primeiro dia. Na ocasião, os participantes puderam entender por que as empresas devem colocar as pessoas no centro da estratégia corporativa e valorizem cada vez mais o famoso “Employee Experience” (Experiência do Funcionário).

A apresentação ainda trouxe dados sobre os principais desafios relacionados à gestão de pessoas em 2022 e as prioridades em alta para 2023, assim como uma reflexão sobre a relação atual entre os colaboradores e seus empregos, o significado do trabalho hoje em dia e algumas práticas que as empresas podem adotar para se conectar melhor com seus times na era do People Centric

E só para fechar esse assunto, deixamos aqui uma frase citada durante essa palestra que faz muito sentido e deve ser lembrada sempre dentro do ambiente corporativo: “O sucesso de uma empresa será cada vez mais consequência da qualidade dos relacionamentos que ela desenvolve com suas pessoas.”

Tecnologia em foco

Por fim, “Tecnologia e RH: Gestão do Futuro” foi o tema da palestra que fechou o primeiro dia de RH Summit 2023. A abordagem foi construída em torno da relevância que a tecnologia exerce sobre os departamentos de RH, que atualmente estão antenados no que há de mais inovador e moderno na área. 

E, a grande questão pautada foi: por que um RH deve ser estratégico? 

Na apresentação foram listados alguns porquês! Confira:

  • Torna os processos mais eficientes, precisos e ágeis
  • Melhora a comunicação interna, a cultura organizacional e a Employer Branding
  • Organiza as informações em um único lugar para otimizar a tomada de decisão
  • Promove o aprendizado constante do time, possibilitando o crescimento e o aperfeiçoamento dos colaboradores

Pegando esse gancho, não poderíamos deixar de citar o Rhevolution da Techware, que além de ser uma tecnologia de ponta para a otimização dos processos técnicos, ainda possui módulos que auxiliam na jornada do colaborador, ajudam no People Centric, fortalecem a Cultura Organizacional e promovem uma experiência positiva.

Costumamos dizer que se o RH estiver munido de soluções que garantam condições de trabalho melhores e despertem o sentimento de pertencimento e valorização da equipe, fatalmente a retenção de talentos se tornará uma etapa menos complexa para a corporação.

Agora você entende por que Gestão do Futuro, Cultura Organizacional e Experiência do Empregado são assuntos que dominamos de ponta a ponta?

Se você busca por um sistema único e completo que contemple os processos do RH da sua empresa, converse com um TechDesigner

Ah, e para acompanhar outras novidades apresentadas no RH Summit 2023, acompanhe nossas publicações, pois ainda publicaremos por aqui mais conteúdos sobre o evento!


Relacionados

Utilizamos cookies para personalizar e melhorar a experiência do usuário em nosso site. Ao aceitar essa mensagem e continuar navegando, você declara concordar com nossa política de cookies. Você pode gerenciar seus cookies a qualquer momento.